Lendo:
Você está pronto para preparar sua marca no pós-Covid 19?
Compartilhe:
Image

Você está pronto para preparar sua marca no pós-Covid 19?

Avatar
14 de Julho de 2020

O Coronavírus mudou a rotina do mundo inteiro em poucos meses e a prevenção da pandemia se tornou o grande objetivo dos países. Nos últimos meses o isolamento foi crucial para evitar que vidas fossem perdidas, o que mudou drasticamente o comportamento de compra dos consumidores.

Ainda que o isolamento tenha sido necessário, nem tudo fechou. Os trabalhos essenciais foram os que mais precisaram se adaptar, pois precisam atender a população com segurança e ainda ter estoque suficiente. Entre eles estão supermercados, farmácias, delivery etc.

Com esse cenário, áreas do varejo foram afetados de duas formas: ou obtiveram um crescimento de vendas, por se tratarem de lojas essenciais, ou tiveram que fechar as portas de vez por um tempo até tudo voltar ao normal.

Perceberam que foram dois cenários drásticos demais? Am ambos os casos o trade marketing foi também afetado de forma crítica. Os trabalhos essenciais tiveram que redobrar os cuidados e os planos de trade, e outras lojas fechadas tiveram que pensar em novos formatos de atingir os consumidores.

A realidade atual do Covid-19

Como os últimos meses foram completamente diferentes para o varejo como um todo, o comportamento do consumidor não vai simplesmente voltar ao que era antes da pandemia. Algumas mudanças vieram para ficar, mesmo com os comércios voltando aos poucos a abrir suas portas.

Mesmo com a abertura parcial do comércio, o consumidor consciente sabe que aglomerações ainda são o grande formato de transmissão do vírus. Os shoppings também estão voltando a funcionar, com algumas limitações de horário e necessidade de seguir regras de higiene, para evitar a propagação do vírus. Na mesma linha, estúdios de tatuagem, academias e parques estão aos poucos voltando, mas com diversas restrições.

Não será, portanto, com a simples abertura, que tudo voltará ao normal e todas as lojas voltarão a ter lucros e balancear seus gastos. O investimento no digital ainda terá de ser forte e de maneira alguma poderá ser ignorado. Exatamente por essas ações que muita coisa vai mudar no trade.

Além dos números não terem uma baixa significativa diária, como aconteceu em outros países, ainda não se sabe quando de fato estaremos livres da pandemia. Por conta desta realidade, sua marca deve estar preparada para essas mudanças todas, tanto para prevenir o contágio se sua loja voltou a funcionar, quanto para o novo comportamento do consumidor.

O que o Trade Marketing pode fazer por você

O marketing como um todo está correndo para ter dados, estudos e informações nesses últimos meses, justamente para entender o impacto da pandemia no mundo inteiro e no mercado consumidor.

Os serviços essenciais se tornaram de fato os mais procurados por populações do mundo inteiro, e tiveram que se ajustar a uma nova demanda, nunca antes ocorrida nesse mundo tecnológico. De acordo com dados da Nielsen, o varejo registrou alta de 23,3% na terceira semana de março no Brasil, quando ocorreu o início dos planos de isolamento.

Estes produtores, vendedores e comerciantes tiveram que repensar em como atender os consumidores, e no meio disso, provavelmente tiveram problemas como:

  • Dificuldade no abastecimento de produtos;
  • Falhas na integração de estoque, transporte e abastecimento;
  • Retração na equipe de campo (rodízios e diminuição de trabalhadores para evitar contágio)
  • Falta total ou parcial de dados de sell-out e dos concorrentes.

Para ajudar nessa nova realidade, grandes conglomerados fizeram o possível para entregar pesquisas e estudos confiáveis sobre o mercado consumidor, para facilitar insights e novas reformulações no planejamento de trade marketing, que tem foco no mercado varejista.

Entre as empresas, tivemos o Google, criando artigos periodicamente para explicar como as buscas e as tendências de pesquisas foram nesses meses de isolamento. Lembram quando dissemos que o mundo digital seria um caminho possível ao varejo?

Sim, ele é, não apenas do ponto de vista de entrega de produtos, mas de entendimento do consumidor e uso de ferramentas para tornar as estratégias mais rápidas, práticas e instintivas.

Mas, e depois?

De acordo com estudo da Accenture, o Coronavírus veio para mudar o comportamento do usuário de forma permanente. Mesmo que as mudanças não sejam tão drásticas como alguns pensam, certos hábitos devem sim permanecer, e o “anormal” deve se tornar o novo normal.

Entre os principais insights e dados relevantes para o varejo e para o consumidor brasileiro, levantamos informações do que deve mudar de forma permanente, mesmo depois da pandemia.

  • Durante e na pós-pandemia, usuários vão procurar mais produtos de higiene, prevenção à transmissão, saúde e bem-estar.
  • Os cuidados ao sair de casa serão redobrados durante e no pós-pandemia, com mais uso de máscaras, álcool e gel, luvas etc, O comportamento também deve mudar, com mais atenção ao isolamento social e uso individual de produtos;
  • O foco no varejo agora é se preocupar com o abastecimento e estoque de produtos, para oferecer ao shopper e consumidor o que ele procura. Certas procuras hoje devem permanecer no pós-pandemia, portanto o aumento de fabricação e venda devem acontecer.

O varejo ainda é uma fatia fundamental para o setor econômico brasileiro. Atualmente são 577 shoppings abertos no país, figurando no 2º lugar da América Latina, ficando atrás somente do México. Somados, os shoppings faturam mais de R$ 192 bilhões ao ano e geram mais de 1 milhão de empregos, de acordo com dados da Abrasce.

Dicas para se preparar

Hoje, nem todas as empresas podem atuar em suas lojas físicas. Ainda assim é possível planejar estratégias de trade marketing para se preparar quando for possível abrir novamente. São áreas do varejo que ainda faturam bastante no Brasil, como segmentos de eletromóveis, moda, esportes e construção, atualmente considerados não-essenciais.

O que pode ser feito hoje para pensar no amanhã:

  • Convoque uma reunião para revisar informações sobre os canais de venda, assim como rever sortimento, definir mix prioritário, montar uma nova estratégia de loja, estudar participação em gôndola e revisar precificação.
  • Utilize softwares que vão te trazer bons dados, relatórios e funcionalidades importantes para atender ao shopper fiel e frequente.
  • No abastecimento de produtos, sua loja poderá renegociar prazos, entregas e pagamentos. Revise o planejamento logístico para ver se o estoque será maior ou menor do que o de costume.
  • Adapte-se às restrições do varejo, repensando horas trabalhadas, dias e horário diário. Desenvolva um plano de contingência se necessário.
  • Estreite a comunicação com seu consumidor e estude novos modelos de atendimento. Se seu comércio é essencial, traga um ambiente seguro, limpo e acolhedor para seus consumidores. Pesquisas mostram que existe uma tendência em criar ambientes “casa” nas lojas, aproveite isso.
  • Melhore suas plataformas digitais para se comunicar melhor, fazer links patrocinados e vender online.

Compartilhe este artigo:

Comentarios

Comentar na postagem:
divider graphic

Postagens relacionadas:

arrow-up icon